17 de mai de 2015

Afronta

Esse é o Afronta:


"Quando vimos Chimamanda Ngozi Adichie falando sobre “O perigo de uma história única”, não só fomos contempladas, como também percebemos que as nossas histórias enquanto mulheres negras sempre foram contadas por outros e nunca por nós. Vamos voltar as origens quando nossas bisavós, avós, e mães contavam sobre suas vidas em contos e causos e dar espaço para cada uma falar de si e sendo assim um exemplo para todas. 

O Afronta nasceu da necessidade de representação feminina e negra nas histórias contadas e ensinadas no Brasil. Da necessidade de um espaço-tempo em que as mulheres possam falar livremente do que quiserem sobre si e sobre a sociedade onde estão inseridas, nós do Afronta queremos unir forças para combater as opressões sofridas por todas nós por centenas de anos, desconstruir o ideal de beleza estabelecido, construir narrativas simbólicas que fortalecem nossa luta diária contra o machismo-racismo. 

O Projeto funciona de forma colaborativa, nós disponibilizamos as redes para que vocês nos enviem suas histórias e fotos, com isso, ilustramos suas histórias a partir da foto enviada e postamos no site e compartilhamos nas demais redes. 

As mulheres negras sendo referências para mulheres negras, juntas afrontando e com isso fazendo história."


Afronta é um projeto incrível sobre mulheres negras, para mulheres negras, com mulheres negras. Afronta é sobre referência e representatividade, sobre histórias e fatos. Afronta é sobre nós...


E essa é minha história no Afronta:

16 de mai de 2015

Algumas imagens...








Que não são meras imagens...


15 de mai de 2015

"- Mas filho, o problema é que mesmo sabendo que eu não estou gorda, a sociedade me vê como gorda. Nunca acho roupa do meu tamanho que seja legal e que caia bem em mim. Nenhum vestido bonito fica bom, é como se eu não me enquadra-se nunca.

- Mas mãe, e você acha que é uma boa coisa se enquadrar em uma sociedade, como essa que nós vivemos? Será que é uma coisa boa se encaixar em uma sociedade tão perdida como essa em que vivemos? Acho que você devia estar feliz por não se enquadrar."

E é por ele, por meu filho, entre outros motivos sendo ele o mais importante, que eu não me enquadro, não mais. É por essas e outras mais que quero retomar esse blog, meu mundo, o cantinho de tudo que vi e Escrevi por Aí...